16 e 17/07 Paraty: Mamanguá, Trindade e Centro Histórico - mais que um passeio fotográfico


Não disponível

Passeio Fotográfico 16 e 17/07
Paraty: Mamanguá, Trindade e Centro Histórico

 

Paraty/RJ, possui as mais belas praias da Costa Verde, cercadas por montanhas e águas cristalinas. O Centro Histórico, com sua arquitetura colonial e lâmpadas amareladas, oferece um ar nostálgico às ruas de Paraty. Um deleite para fotógrafos e amantes da história.

Escolhemos duas regiões de praias para este passeio: Saco do Mamanguá e Trindade. A primeira, Saco do Mamanguá, só é possível chegar de barco, conhecido como o "fiorde brasileiro" (mas na verdade não é, pois não foi formado na era glacial pelo movimento das geleiras), possui um braço de mar com 8km de extensão, e tem como cartão postal, o Pico do Mamanguá, com acesso por trilha e uma vista deslumbrante, além de dezenas de praias. Outra atração do Mamanguá são os mangues. Já a segunda, Trindade, é uma antiga Vila de Pescadores e fica a 25km do centro de Paraty. Possui belíssimas praias, uma diferente da outra, e todas com acesso à pé, trilhas ou caminhos. A principal atração de Trindade é a Piscina do Cachadaço, área costeira cercada de pedras, formando uma piscina natural com a água do mar.

 

Importante
Qualquer dúvida, envie uma mensagem no whatsapp (botão aqui na página)

 

Roteiro 16 e 17/07/22


Sábado
7h
Saída do barco para o Saco do Mamanguá
13h Retorno do Mamanguá para almoço e parte da tarde livre
16h Passeio pelo Centro Histórico com o
grupo teatral Trupe Real Paraty (Paraty Pedagógico) encenando histórias da época
19h Saída da van para Trindade
20h Check in na hospedagem e noite livre em Trindade

Domingo
7h
Saída com guia e a performer Vera Braga pelas trilhas até a piscina do Cachadaço
12h Retorno para almoço
15h Ensaio com a modelo Juliane Leandro nas pedras da Praia de Fora

17h Encerramento

Terça (19/7 - opcional)
20h
Encontro remoto na plataforma Zoom para trocar imagens e experiências

 

 

Roteiro 30 e 31/07/22 (inscrições neste outro link)

Sábado
7h
Saída do barco para o Saco do Mamanguá
13h Retorno do Mamanguá para almoço e parte da tarde livre
16h Passeio pelo Centro Histórico com o
grupo teatral Trupe Real Paraty (Paraty Pedagógico) encenando histórias da época
19h Saída da van para Trindade
20h Check in na hospedagem e noite livre em Trindade

Domingo
7h
Saída com guia e a performer Lucilene Moreira pelas trilhas até a piscina do Cachadaço
12h Retorno para almoço
15h Ensaio com a performer Lucilene Moreira nas pedras da Praia de Fora

17h Encerramento

Terça (2/8 - opcional)
20h
Encontro remoto na plataforma Zoom para trocar imagens e experiências

 

 

Leia atentamente todas as informações

Onde
Paraty: Saco do Mamanguá, Trindade e Centro Histórico

Política de reembolso:
Em caso de desistência, devolvemos 50% se for informada com 20 dias de antecedência. Após este período, não há devolução.

O que está incluso:
Travessia de barco para o Mamanguá, guia e salva-vidas durante o trajeto de barco e na caminhada para o Pico do Mamanguá. Passeio com apresentação da história de Paraty pelo Centro Histórico com o grupo teatral Trupe Real de Paraty (Paraty Pedagógico). Transporte Paraty/Trindade. Estadia em Trindade: Os quartos da hospedagem são quartos duplos. Caso queira quarto individual, entre em contato conosco. Passeio com guia pelas trilhas e praias de Trindade. Modelo/ performer em uma das praias e trilhas. A organização do passeio, o network com diversos fotógrafos que participam do mesmo passeio, reunião online pós evento e uma pessoa para tirar suas dúvidas sobre fotografia.

 

Atenção!
O transporte do seu local para Paraty, e de Paraty para o seu local não está incluso.

Sugestões de transporte

Empresa Buser
Passagens de São Paulo/ Paraty e Paraty/ São Paulo
de 59,90 a 89,90
Acesse este link ou
https://www.buser.com.br/

Empresa BlaBlaCar 
Carona  de São Paulo/ Paraty e Paraty/ São Paulo
de 65,00 a 68,00
Acesse 
este link ou
https://www.blablacar.com.br/

 


Datas

16 e 17/7/22 (inscrições nesta )
30 e 31/7/22 (inscrições neste outro link)

Local
Paraty: Mamanguá, Trindade e Centro Histórico

Investimento
10x 112,97 (PagSeguro)
940,00 (à vista, pelo PagSeguro)
920,00 (à vista, por transferência - nos envie um email ou whatsapp)

 

Participantes do Programa Desenvolvimento e Orientação em Fotografia Autoral ou Documental tem 5% de desconto no valor à vista, por depósito/ transferência

 

Observações:

  • Os quartos da hospedagem são quartos duplos. Caso queira quarto individual, entre em contato conosco.
  • Leve sempre com você: água, repelente e não esqueça (por precaução), proteção para a câmera em caso de chuva, capa de chuva e/ou guarda-chuva.
  • Menores de 18 anos, só acompanhados pelos pais ou responsável.
  • Adicione o VivaRua nos seus contatos do WhatsApp: 11 966480125
  • Mudança no clima não interfere na data do evento.
  • Coloque o nosso email vivarua@vivarua.com.br como confiável, para não ir para a pasta de spam. Utilizaremos o email do cadastro para enviar os detalhes. Certifique-se que o seu e-mail lá é atual e está correto

 

 

Sobre as atrações

 

Trupe Real de Paraty, do Paraty Pedagógico (@paratypedagogico) Centro Histórico dos dias 16 e 30/7
A Trupe Real de Paraty conta a história da brasilidade através do tempo com seus personagens atemporais. Ana Dias, dona de uma das sesmarias do Saco do Mamanguá, assim como outras, esta senhora prova que Paraty sempre foi matriarcal.

O Barão de Paraty, Antônio Elias Lopes, figura emblemática na sociedade, na nobreza e na história da brasilidade, mestiço com muito orgulho, descendente de três raças, ele, junto com seu irmão de alma, de sangue e de coração, Trazimundo Cavalcante Albuquerque Gabriel Lopes Gonçalves de Abreu, o comerciante, nosso querido Mundinho, trazem esta história para vocês. Venham. Divirtam-se. E levem momentos inesquecíveis.

 

 

 

 

 

 

Trupe

Luciana Cures (@7lucagloss)

Maquiadora e Visagista. A Baronesa Ana Dias

Marcio Oliveira de Albuquerque (@paratynatural)

Guarda-vidas. O comerciante Trazimundo Cavalcante Albuquerque Gabriel Lopes Gonçalves de Abreu

O Barão de Paraty  (@roguiadventure)

Guia e Arte-educador. O Barão de Paraty, Antônio Elias Lopes, às vezes das histórias, outras, da cachaça

 

 

 

Lucilene Moreira (@lucilenemoreira9) Performer do dia 31/7
Artista do corpo, bailarina, atriz, performer. Inicia-se nas artes do corpo em 1983 compondo sua formação do clássico ao popular, passando por técnicas de dança moderna, contemporânea e arte circense. Desenvolve pesquisa do corpo cênico nu como modelo vivo para o desenho e pintura desde 1987. Entre outros artistas plásticos, trabalhou por muitos anos com Silvio Dworecki. A partir de 2007, atuou como modelo de Israel Kislansky acompanhando-o em seus cursos e workshops de escultura e desenho; e nos projetos autorais do artista, serviu de inspiração para uma gama de suas obras. Nesse mesmo período iniciou parceria artística com o fotógrafo Gal Oppido, performando para seus projetos autorais e para seus alunos em cursos, workshops, festivais, entre outros. No cenário da fotografia artística, além de aprofundar sua pesquisa com o nu, também desenvolve a arte da composição de figurinos ampliando ainda mais suas possibilidades cênicas e performáticas. Em 2015 nasce seu projeto autoral "A Arte do Corpo Inspirador", neste a artista ministra workshops dirigindo fotógrafos entre artístas do corpo e visuais e apresenta seus ensaios performáticos. Em 2018 nasce o projeto "Imersão Fotográfica Sentidos da Pele", neste a artista atua na produção, na direção em parceria com Gal Oppido e performancesA partir de 2019, participa performando em saídas fotográficas para a escola VivaRua Fotografia, em diversos locais da cidade de São Paulo, e agora, 2022, pela primeira vez, em um cenário natural com praias no Rio de Janeiro.

 

 

 

Vera Braga (@verabraaga) Performer do dia 17/7
Atriz, artesã, designer. Iniciada nos mistérios ocultos. Terapeuta Reikiana facilitadora da Chama Violeta, estudante das ervas, apaixonada por árvores, flores, portais e figurinos medievais, descendentes da linhagem Celta. Através da arte da fotografia posso expressar meu real ser. E ser o que eu quiser.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Juliane Leandro (@juleeandro) Modelo do dia 17/7
Modelo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Paraty por Paraty Pedagógico (@paratypedagogico)

Um dos berços da atual população brasileira Parati-ii, seus caminhos e descaminhos nos levam a compreender um pouco de nossa brasilidade, dos povos nativos e sua mistura com os colonizadores seja através do porto, um dos mais importantes para o comércio no período colonial, seja através das trilhas pré cabralinas dos povos nativos que aqui viviam, uma saga de grandes aventuras marcam o descobrimento, a colonização e seus reflexos, sejam estes sociais ou econômicos, levando um povo aguerrido a formar um País chamado Brasil.

Paraty preserva marcas arquitetônicas e sua historicidade levando os que procuram saber sobre os ciclos do período colonial à vivenciar fatos e adentrar no tempo através dos detalhes em seus casarios e dos cenários naturais ainda preservados, traços estes que marcam as passagens de todos os ciclos do extrativismo ao observarmos toda riqueza natural explorada pelos colonizadores e a participação dos povos nativos na miscigenação, hoje ainda é comum ver nativos fazendo escambo na cidade histórica; o ouro branco, o “açúcar” dos acepipes das escravas vendidos nos tabuleiros aos europeus que queriam saborear o mel da cana, porém em Paraty tanto pelo clima quanto pelas águas, a cana de açúcar se tornou mais proveitosa quando fermentada e destilada, ainda hoje é possível ver alguns conhecedores pedir nos balcões uma dose de Paraty, sinônimo de cachaça, como diz nosso dicionário, que serviu para fomentar a vinda dos negros da África. Com a chegada da mão de obra, Paraty se torna rota única para entradas e saídas das minas gerais, o Caminho do Ouro trata-se de uma das mais importantes entradas do Brasil, agora caminho oficial, do ouro e das pedras, e da importância do africano como mão de obra, começa a se formar uma nação agora com traços da afrodescendentes, quando o metal e as pedras começam rarear na corte e o povo já está a reclamar sua parte; escorre em Paraty o ouro negro: o café do vale do Paraíba que reascende o porto comercial, e com este chegam também novos povos agora imigrantes e com estes novas culturas, estes deixam traços de que aqui, como em nenhum outro lugar nasce um povo miscigenado, quiçá uma geração multicultural, mais tolerante e encantadoramente adaptável e ainda muito servil.

O poder das matriarcas, traços da maçonaria, calçamento Pé de Moleque, as festas, as tradições, tornam as histórias de Paraty encantadoras. Relatos do descobrimento e do período colonial, vivenciar estas nos aguça a curiosidade e nos faz querer conhecer nossa história e as aventuras e desventuras do período colonial. Em Paraty a diferença se faz ao vivenciar estas histórias e se aventurar tendo a cidade histórica e a natureza como palco pra a sua imaginação, seja você um Pirata, um Comerciante, um Homem de Letras ou mais um grande Aventureiro.

Importante
Qualquer dúvida, envie uma mensagem no whatsapp (botão aqui na página)

 

 

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.
    Olá! Tudo bem? Temos informações sobre sua inscrição com a VivaRua Fotografia.