Desenvolvimento e orientação em Fotografia Autoral
Fazer. Acontecer.

Em qual etapa do ciclo você se encaixa?

 

Módulo Zero | CLIQUE AQUI
Fotografia para Iniciantes | Para quem está começando na fotografia: Para descobrir e entender a fotografia, buscar um novo olhar e, consequentemente, aprender a fotografar

Módulo I | CLIQUE AQUI
Introdução a Fotografia Autoral | Para quem fotografa, conhece as técnicas e quer iniciar um trabalho com uma abordagem autoral, ou para quem concluiu o Módulo 0

Módulo II | CLIQUE AQUI
Para quem já conhece um pouco do universo autoral e quer partir para a construção de ensaios em livros e/ou projetos, ou para quem concluiu o módulo I

Módulo III | CLIQUE AQUI
Linguagem Artística | Para quem tem pelo menos um ensaio relativamente pronto e pretende editar e desenvolver uma publicação ou um projeto com fotografia, definindo uma linguagem artística, ou para quem concluiu o Módulo II

Módulo IV | CLIQUE AQUI
Estudo e Inserção do Artista | Para quem já tem um portfólio conciso e necessita de uma orientação para o mercado e o circuito da arte

 

Este curso pode ser feito à distância, ao vivo.

Saiba mais sobre este projeto
Encontros para desenvolvimento e orientação em Fotografia Autoral
Fazer Acontecer

A proposta dos encontros é trabalhar, orientar e desenvolver a fotografia dentro do campo da arte e as necessidades de cada participante. Vamos levar trabalhos de referências, ver e direcionar trabalhos individuais em andamento, fazer leituras, indicar literaturas essenciais, construção de portfolio, marketing pessoal, além da produção de diversos projetos coletivos, para cada módulo do ciclo.

Os encontros acontecem uma vez por semana, e alguns encontros acontecem em galerias, ateliês ou exposições (dias determinados pelo visitado, compondo a carga horária total). Alguns módulos também contemplam saídas fotográficas (aos domingos ou quando houver tema de interesse, como atividade extra). Teremos convidados durante todo o ciclo para falar sobre seus processos pessoais, dar dicas etc.

Promovemos a participação do grupo em festivais, editais, feiras etc. Além de exposições (a partir do Mód. I) com parceiros aqui no Brasil e no exterior. Todas estas atividades estão incluídas na carga horária.

2018 foi um ano intenso e produtivo. E queremos fazer tudo isso e muito mais em 2019. Vem com a gente!

 

olha quanta coisa fizemos em 2018

Fotofeira Cavalete MIS, Fotofeira Armazém, Festival de Fotografia de Paranapiacaba, Ação/Exposição no Valongo Festival, Fotofeira Cavalete Vila Madalena, Premiados no Festival De Amparo, no Concurso Utopia-Sp: Conviver, e Convocatória Memórias de uma Guerra Esquecida, Fotofeira Cavalete Casa Das Rosas, Visita às Galerias como a Peach Photo Art, Visita ao Parque Gráfico da Ipsis, Às Feiras e Bancas de Publicações Independentes, Ao Lab de Impressão Fineart Silvio Pinhatti, Ao Ateliê Fineart Espaço Ophicina, Palestras com diversos convidados, Saídas Fotográficas Extras, Descontos especiais em toda nossa Programação, Exposição no Exterior: Eua e Holanda, Exposição encerramento do ano, na Vila Madalena, com apoio do Catraca Livre

 

já estamos confirmados para 2019

Festival de Fotografia de Amparo 2019, Festival de Fotografia de Tiradentes 2020, Fotofeira Cavalete no Mês Da Fotografia no MIS, e muito mais

Qualquer dúvida, estamos à disposição.
Fale conosco pelo Whatsapp aqui

 

Local I
Rua João Moura, 1017 – Pinheiros
(10 min (a pé) do Metrô Sumaré ou Metrô Clínicas – 300mts da Pça Benedito Calixto)

Local II
Avenida Pedroso de Morais, 2199, Alto de Pinheiros, São Paulo – SP
(Próximo à Estação Faria Lima do Metrô, Estação Pinheiros do Metrô e Estação Cidade Universitária da CPTM)


Para saber mais
Whatsapp/Claro 11 984601272

SOBRE PAULO KLEINSOBRE JOSÉ BASSITSOBRE PAULALYNSOBRE GABI DI BELLASOBRE DAVILYM DOURADOSOBRE CARMEM NEGRÃO

Sobre Paulo Klein

Jornalista cultural, poeta, crítico e curador de Artes Visuais – não precisamente nesta ordem – mas, principalmente, fotógrafo. Começou a se manifestar com a fotografia ainda jovem,  registros da vida familiar com uma Kapsa, depois uma Rolleiflex. A Fotografia levou-o a muitos cantos, aventuras e missões. Conquistou o Prêmio Fundação Joaquim Nabuco (Pernambuco) aos 23 anos, com ensaio sobre a Zona Agrária Norte Nordeste (1973). No mesmo ano (com o dinheiro do prêmio) realizou a expo-happening ‘FIESTA EM OH! LINDA’ no MAC/Pernambuco, em Olinda, com a participação de artistas como Paulo Bruscky, Montez Magno, Raul Córdula e Abelardo da Hora, entre outros.

Foi editor de Cultura no Diário do Grande ABC, onde começou como fotógrafo (entre 1975-1979), iniciando também atividades como crítico de arte e gestor de exposições de fotografia e artes plásticas. Colaborou como crítico de arte e articulista na Folha Ilustrada (FSP). Fez capas de discos de Alceu Valença, Nelson Gonçalves, Mutantes e Amelinha. Entre outras atividades foi editor de fase especial da revista IRISFOTO e curador da QUADRIENAL DE FOTOGRAFIA (MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo – 1985) onde coordenou um abrangente panorama da Fotografia Brasileira.

Autor de livros sobre Arte, Arquitetura e Fotografia, incluindo o BRASIL ART BOOK – PHOTOGRAPHY, com um recorte master da fotografia autoral brasileira – Mario Cravo Neto, Miguel Rio Branco, Marcio Scavone, Claudio Edinger, Gal Oppido, Eustaquio Neves, Cassio Vasconcellos, Vânia Toledo. Atualmente dedica-se a trabalhos de consultoria e curadoria, cursos, palestras e edições especiais de Fotografia e Arte Brasileira.

Sobre José Bassit

Nasceu em 1957, na cidade de São Paulo. É fotógrafo desde 1985 e já teve seus trabalhos publicados nos principais jornais e revistas brasileiros. Em 2003 publicou o livro “Imagens Fiéis” (Editora Cosac&Naify), sobre a religião e a fé do povo brasileiro. Suas obras integram acervos de instituições como a Pinacoteca do Estado de São Paulo e o Museu de Arte de São Paulo.

Entre as principais exposições individuais de que participou estão:

– The London Underground, na estação Santa Cecília do Metrô, São Paulo (1985)

– Por onde anda a fé, no Centro Cultural Fiesp, São Paulo, dentro do V mês internacional de Fotografia (2001)

– Imagens Fiéis, no Centro de Estudos Brasileiros em Maputo, Moçambique (2003)

– Cortes Modernos, na Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo (2004)

– Imagens Fiéis na Galeria Zoom, Paraty/RJ (2005)

– Rememorações, no Espaço Porto Seguro de Fotografia, São Paulo (2006)

– Instalação Cortes Modernos, no Sesc Pompéia, São Paulo (2007)

– Imagens Fiéis, no Museo de los Ninõs, em San José , Costa Rica (2008)

– Imagens Fiéis- CasaVitorino, São Paulo- SP, em abril de 2017

Nas exposições coletivas destacam-se :

– III Bienal de Fotografia de Curitiba, Paraná (2000)

– Acts of Faiths, no Contemporary Brazilian Photograph, no Asmolean Museum, em Oxford, Inglaterra (2002)

– Brasiliens Gesichter, no Ludwig Museum, em Kloblens, Alemanha (2005)

– Brésil, Hèritage Africain, no Musée Dapper, em Paris, França (2005)

– “Extremos”, na 23a Bienal Europalia Arts Festival, no Museu Bozar, em Bruxelas, Bélgica (2011)

– Mostra Arcapress de Fotografia Documental – Galeria Zona5 em São Luiz, Maranhão, dezembro de (2013)

– A Paisagem da Cidade – Curadoria de Cristiano Mascaro, no Sesc Santana- SP, em dezembro de (2013)

– Exposição “Brasil”, no Edifício da rua Lobau, 4, em Paris- França, em julho de (2014)

– Impressions Mémorielles- Musée De L’Homme, Paris- França, em maio de 2017

Coleções:

Pirelli/ Masp

Pinacoteca do Estado de São Paulo

Sobre PaulaLyn Carvalho

Diretora de Arte há mais de 25 anos, fotógrafa e agitadora cultural há mais de 15 anos. Lecionou por mais de 10 anos em instituições como Senac – Comunicação e Artes, Eng DTP& Multimedia, WOC etc. Palestrante na Digital Design World por 2 anos e na Adobe por alguns anos. Desenvolveu/desenvolve trabalhos para: Zoli Produções, Aeroporto Internacional de Guarulhos, Senac Comunicação e Artes, Motorola, Sony Ericsson etc., e por meio de agência: Natura, PwC, FNQ, Einstein, Itaú, Universidade São Judas etc.

Pós-graduanda em Gestão Cultural (Senac), Pós-graduada em Arte Integrativa (UAM), extensão em Antropologia Visual (PUC), e um MBA em Marketing (FGV) incompleto, Jornalista e Graduada em Design Gráfico. Idealizadora dos projetos SP Pixel a Pixel, Fotambulantes (projeto que participou da Mostra SP de Fotografia), VivaRua Fotografia, Arte e Cultura, entre outros.

Mais de 500 fotos publicadas em diversos livros e veículos. Participou de mais de 15 exposições coletivas, sendo 5 no exterior, 3 individuais, e foi curadora de outras exposições. Em 2009, teve um trabalho projetado no Paraty em Foco, em 2015,  pré-selecionada por convocatória, e em 2019, pré-selecionada com ensaio e com foto única. Premiada no concurso Brazil Foundation e The55Project em 2018, premiada no concurso da Secretaria do Meio Ambiente e Senac, “Árvores de São Paulo”, em 2007, “Foto do Dia” na National Geographic. e “Foto do Dia” no Metro Photo Challenge.

Ensaios: Realizado para o Catraca Livre sobre ‘Afeto e Diversidade no Carnaval de Rua’, em 2016; Ensaio ‘Indício de Não-Memória’, capa de livro do Ateliê Fotô/ Eder Chiodetto, selecionado por convocatória no Paraty em Foco 2015, e compôs uma Exposição Coletiva (Senac), com curadoria de Fernando Schmitt, em 2015. Fotos da diversidade da Mata Atlântica, selecionadas do seu acervo, ilustraram o Calendário 2008 da empresa Ypê. Por um ano, comercializou suas fotos autorais em azulejos no Armazém da Cidade, na Vila Madalena, conquistando fãs e vendendo para turistas do mundo inteiro.

Sobre Gabi Di Bella

Fotógrafa e jornalista, trabalha e vive em São Paulo. Formada em jornalismo pela PUCRS, já trabalhou com assessoria de imprensa e produção de cinema antes de começar a carreira como fotojornalista. Trabalhou no Jornal do Comércio e no jornal Metro onde cobriu a Copa do Mundo de 2014 e também a tragédia da boate Kiss. Mudou para São Paulo em 2015 após ser selecionada para o trainee da Folha de São Paulo. Em 2016 publicou o fotolivro “Marrocos” pelo coletivo Gringo que foi finalista de Prêmios Pierre Verger e Diário Contemporâneo e será exposto este ano no Photo España, em Madrid, e no Festival de la Luz, em Buenos Aires. Colaborou com agências nacionais e internacionais como a Reuters e a FolhaPress, e atualmente trabalha como freelancer para veículos como UOL, BBC Brasil, National Geographic, e The Intercept Brasil e se dedica a projetos independentes com foco documental.

Sobre Davilym Dourado
Desenvolve projetos de fotografia autoral, transitando entre o documental contemporâneo e a fotografia experimental analógica. Contemplado no XV Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia, em 2015, com o livro “Chuva Fora de Lugar”, livro este, que já o lançou para outros editais e festivais. Graduado em Sociologia (FESPSP), com extensão em Antropologia Visual (PUC/2014). Em 1999, estudou no International Center of Photography (ICP), em Nova York – EUA e, em 2014, participou do grupo de estudos com o artista e professor Carlos Fajardo.

EDITAIS E PRÊMIOS

  • Artista Selecionado Feira do Livro de Lisboa, , livro CHUVA FORA DE LUGAR 2017
  • Artista Selecionado Bienal do Sertão 2017 – Vitória da Conquista-BA
  • Artista Selecionado FIF-BH – Festival internacional de Fotografia de Belo Horizonte, livro CHUVA FORA DE LUGAR – 2017
  • Finalista do Prêmio Fundação CONRADO WESSEL, ensaio “MONSTER” – 2017
  • XV Prêmio FUNARTE MARC FERREZ DE FOTOGRAFIA, livro CHUVA FOR A DE LUGAR- 2015.
  • Prêmio PROACSP – Projeto Galeria Container – 2015
  • Artista selecionado – 65º Salão ARTE PARÁ, Belém – PA-2014
  • Finalista do Prêmio Fundação CONRADO WESSEL, ensaio “Carros” – 2013
  • CAIXA CULTURAL exposicão fotográfica NEGATIVE EXPERIENCE nas unidades de São Paulo e Brasília – 2011

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS

  • 2014 – BORÁ, Escola de Sociologia e Política de São Paulo
  • 2011 – Negative Experience, Caixa Cultural São Paulo
  • 2011 – Negative Experience, Caixa Cultural Brasília

 EXPOSIÇÕES COLETIVAS

  • 2017 Artista Selecionado Bienal do Sertão – Vitória da Conquista-BA
  • 2014 – Salão Paraense de Artes Plásticas, artista selecionado, Belém
  • 2014 – Borá – MULTITUDE Sesc Pompéia – SP
  • 2014 – Carros – Prêmio Fundação Conrado Wessel – Sala São Paulo
  • 2013 – 13 Fotógrafos Brasileiros ( treze fotógrafos da velha e nova geração ) – Eslovênia
  • 2012 – Potifólio – Projeção de fotografia Brasileira no festival de fotografia Photonic Moments – Eslovênia
  • 2011 – Fotogênesis – Galeria CMafra – Belo Horizonte – MG
  • 2011 – O Tráfico das águas – Rio Jordão (instalação com amostra de água trazida do Rio Jordão de Israel) Galeria Archidy Picado – João Pessoa -
PB
  • 2011 – Flores Mortas,( fotografia ) Projeto até meio kilo – Casa de Cultura de Londrina – PR
  • 2010 – Kaunas Festival – (projeção de imagens) Lithuania
  • 2003 – Os Paulistanos da Paulista, ( fotografia ) CAIXA Cultural São Paulo – SP – Curadoria Emídio Luisi
  • 2002 – Invasion/Liberation, Latinarte Galery – Miami/EUA

OUTROS

  • Lançamentos do livro CHUVA FOR A DE LUGAR:
    1- Casa da Imagem de São Paulo-SP – 2017
    2- Festival de Fotografa de Tiradentes-MG – 2017
  • Selecionado para leitura de Portfólios da Agência MAGNUN, Festival de Fotografia de Tiradentes – 2017

Sobre Carmem Negrão

Gestora e Produtora de Projetos Culturais em Artes Visuais. Foi Assistente de Direção de cursos, oficinas e Pós-graduação em Imagem, do Madalena CEI. Coordenou o núcleo de formação dos festivais Paraty em Foco 2015, Valongo 2016/2017. Participou como jurada de convocatórias do Festival Valongo. Há 9 anos, participa da Rede de Produtores Culturais de Fotografia, atualmente como diretora administrativa.

JÁ CURTIU?
VivaRua Fotografia, Arte e Cultura
vivarua.com.br
vivarua@vivarua.com.br
11 984601272 (whats/ claro)